ADVETORIAL
Post

Não é nenhuma novidade afirmar que até os dias atuais o número de afogamentos impressiona! Constantemente os noticiários destacam casos de afogamentos em diferentes circunstâncias!

Mas, será que esse tipo de situação não poderia ser evitado se culturalmente todas as pessoas aprendessem desde cedo a nadar?  Talvez essa seja uma boa reflexão!

Para se ter uma ideia de como essa situação é alarmante, somente no Brasil os afogamentos são apontados como a segunda maior causa de mortes entre crianças com idade entre 1 e 5 anos!

E os números continuam bastante expressivos entre os jovens também! O que separa essa faixa etária da outra é apenas uma única posição, sendo que mortes por afogamento entre os adolescentes ocupam a terceiro lugar, principalmente da idade de 10 até 14 anos!

 

O número de afogamentos impressiona e a Organização da Saúde está alerta a esse fator!

Ao focar nos mais de 1,2 bis de jovens na faixa etária entre 10 e 19 anos de idade que residem em todo o planeta, a OMS chama a atenção para o fato de os casos de afogamento ainda estão entre os dez mais recorrentes entre as mortes que de fato poderiam ser facilmente evitadas.

Porém, mesmo diante de tal situação, não é isso que se vê até os dias atuais! Na América Latina, o Brasil ainda é o país que mais acaba perdendo vidas em detrimento da ausência de medidas preventivas quanto aos casos de afogamento!

Ao se fazer uma avaliação sobre tal aspecto, grande parte dos acidentes com crianças em locais que tenham piscinas ainda são recorrentes! E em grande parte das vezes medidas simples poderiam ser adotadas para evitar situações trágicas e tristes.

Segundo alguns especialistas, se a educação básica ensinassem as crianças técnicas de natação nas aulas de educação física, o grande volume dos acidentes poderia ser devidamente evitado! Mas, como se sabe, essa é uma realidade muito distante, principalmente se pensarmos o quanto o ensino no país ainda não agrega sequer o básico, não é mesmo?

Não que isso queira dizer que crianças devam treinar na mesma intensidade de um nadador olímpico, mas sim ter ao menos uma noção sobre dar braçadas ou até mesmo serem mais confiantes na água!

 

15% dos afogamentos acontecem em piscinas!

Apenas 15% dos casos de afogamentos entre crianças e jovens acabam acontecendo nas piscinas, sendo que a maior parcela se dá em outras localidades, como rios e também represas!

Os perigos associados aos casos de afogamento realmente dependem de uma avaliação mais consistente, e talvez a prevenção seja uma medida realmente muito mais poderosa para evitar a perda de vidas de forma tão precoce! – o número de afogamentos impressiona, mas é possível combater esses casos com medidas simples!